Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Eleições e economia: a importância de prever cenários e antecipar soluções

O período eleitoral é sempre repleto de incertezas. As indefinições quanto ao cenário político brasileiro em 2023 impactam diretamente a economia e as relações exteriores, mesmo antes das definições de outubro. Com a volatilidade do mercado e suas variações, muitos empreendedores e investidores encontram dificuldades ou oportunidades. Porém, poder antecipar soluções pode revelar mais possibilidades do que problemas.

O cenário atual do Brasil – que envolve pós-pandemia, crise econômica e inflação, além das instabilidades no exterior, como a guerra na Ucrânia – ainda vai enfrentar um processo eleitoral. Este contexto produz indefinições políticas e fiscais, o que leva empresas a aumentar a cautela ao investir na modernização e ampliação da capacidade produtiva. Mas, independentemente da situação, os empresários não podem parar: precisam planejar e antecipar possíveis mudanças na conjuntura econômica. Ao iniciar o orçamento do próximo ano, é preciso contar com o máximo de informações confiáveis e de premissas.

Para elaborar o orçamento de 2023 os gestores precisam considerar os diversos cenários que o país pode encarar – crescer, estagnar  ou se submeter a uma crise econômica. Diante disso, é importante ter acesso a ferramentas para fazer simulações sobre estes cenários. Um bom orçamento sempre contempla no mínimo 3 versões, uma otimista, uma realista e uma pessimista.

Promover um grande número de projeções de cenários é importante para vislumbrar as premissas que influenciam economicamente no desempenho da empresa e projetar diferentes rumos com bases nas mais diversas variáveis econômicas.

Algumas variantes que podem impactar o futuro das companhias:

  • Variação da cotação do dólar nas receitas de exportação e custos de importação de matéria prima;
  • Variação na cotação de commodities;
  • Inflação tanto na política de reajustes de preço de venda, como nos custos e despesas em geral;
  • Impacto da variação do PIB na projeção dos resultados;
  • Mudanças na política econômica como privatizações, pauta de investimentos e subsídios;
  • Mudanças na política fiscal como oneração ou desoneração de impostos, incentivos fiscais e revisões nas alíquotas vigentes;
  • Mudanças no relacionamento com mercado externo por novas políticas, incentivos ou taxações.

De acordo com o portal UOL, investidores institucionais projetam inflação, dólar e crescimento econômico maiores Para 2022, a taxa de câmbio deve ficar em R$ 5,10 por dólar na transição de 2022 para 2023.

Tecnologia faz a diferença

Em meio a tantas incertezas e diferentes cenários, a tecnologia pode ser o diferencial, além de um alicerce seguro na gestão orçamentária.

A Handit possui uma solução completa e flexível para o planejamento econômico e financeiro das empresas, que permite fazer inúmeras projeções e previsões com base em premissas e variáveis, para uma tomada de decisão precisa. 

Gabriel Barbieri
Diretor de negócios na Handit Sistema.

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conheça nossos cases de Sucesso

Leia outros artigos